Zumbido no ouvido: fique alerta!

zumbido-no-ouvido-fique-alerta

Por: - CRM 4228 / RQE 4084
Publicado em 07/10/2018 - Atualizado 08/02/2019

Zumbido no ouvido: fique alerta!

O zumbido no ouvido, ou seja, aquela sensação de estar ouvindo constantemente um barulho de apito ou chiado, é uma reclamação de 10 a 15% da população mundial. Somente no Brasil, estima-se que 28 milhões de pessoas tenham tido esse problema ao menos uma vez ao longo da vida.

Apesar de não ser considerado uma doença, ele pode ser o indício da existência de uma. Por isso, é importante ficar atento à duração, intensidade e em que situações esse zumbido surge.

Confira abaixo quais as principais causas desse barulho, que pode ser percebido tanto na orelha como na cabeça, e quais são os riscos de não dar a devida atenção ao problema.

Afinal, o que é o zumbido no ouvido?

É muito comum que, após um longo tempo em ambientes barulhentos, as pessoas fiquem com a sensação de que o som permanece no ouvido. Isso ocorre porque as vias auditivas captam a vibração dos sons e enviam impulsos elétricos para o cérebro.

Porém, esse zumbido no ouvido passa a ser considerado anormal quando esses impulsos passam a ser gerados sem que haja a fonte externa do som. Ou seja, esse barulho passa a se tornar constante e não tem uma causa aparente.

Assim, de forma geral, o zumbido é toda a percepção de som na ausência de um estímulo sonoro efetivo.  

Quais as suas principais causas

Em média, 50% dos casos de zumbido no ouvido tem relação com a perda auditiva. Por esse motivo, é mais comum que ele surja na terceira idade, apesar de acometer pessoas de todas as faixas etárias.  

A presença de infecções ou lesões no ouvido, bem como o excesso de cera, podem provocar o surgimento desses barulhinhos, visto que influenciam no funcionamento da audição.

Há, ainda, outros fatores que, apesar de aparentemente não terem relação direta com o aparelho auditivo, podem desencadear esse sintoma com bastante frequência. São eles:

  • Anatomia da cabeça, face e pescoço;
  • Níveis muito altos de colesterol e triglicérides;
  • Desvio de coluna;
  • Alterações cardiovasculares;
  • Diabetes;
  • Consumo excessivo de açúcar, café e álcool;
  • Tabagismo.
  • Problemas na articulação mandibular;

Se não tratado, o zumbido no ouvido pode causar riscos?

Em média, somente 5% dos portadores de zumbido no ouvido se incomodam com esse sintoma. No caso, essa pequena fatia costuma relatar que há alterações em alguns fatores, como:

  • Concentração;
  • Sono;
  • Humor;
  • Percepção sonora;
  • Comunicação.

Porém, apesar de muitos não terem aparentemente a sua qualidade de vida prejudicada, o grande risco de não dar a atenção devida ao notar que esses barulhos estão se tornando constantes é o fato de eles poderem ser indícios de uma doença mais grave.

Assim, caso esse barulhinho surja e permaneça sem um motivo aparente, é fundamental buscar ajuda médica. Você pode procurar inicialmente o otorrinolaringologista, que fará a primeira avaliação desse sintoma, realizará os exames diagnósticos e poderá esclarecer qual a causa do zumbido. Caso seja necessário, ele mesmo encaminha para outros especialistas a fim de serem realizados exames mais específicos e possa ser iniciado o tratamento adequado.

Por isso, fique alerta! O zumbido é um sinal do seu corpo para você cuidar da sua saúde.

Material escrito por:
- CRM 4228 / RQE 4084

Diretor técnico do CDO, o Dr. Paulo Crespi é também um dos fundadores da clínica. Possui pós-graduação em otorrinolaringologia e mestrado em otoneurologia pela USP. Já exerceu cargos de chefia e presidência na Sociedade Catarinense de Otorrinolaringologia, nos departamentos de otorrinolaringologia do Hospital Geral Celso Ramos e da Associação Catarinense de Medicina.