Principais sintomas e tratamentos para o câncer de laringe

principais-sintomas-e-tratamentos-para-o-cancer-de-laringe

Por: - CRM 5746 / RQE 4079
Publicado em 01/10/2019 - Atualizado 03/03/2020

Principais sintomas e tratamentos para o câncer de laringe

A laringe desempenha um importante papel em nosso organismo: a função que se destaca é a fonatória no entanto ela atua de maneira capital na proteção da via aérea inferior dos pulmões e em todo o processo de deglutição. Contudo, a região pode ser afetada pelo câncer de laringe, uma condição pode causar graves consequências à saúde caso não seja tratado adequadamente.

Ouça este conteúdo:

 

Um dos principais tipos de cânceres a afetar a região da cabeça e pescoço, o câncer de laringe ocorre predominantemente em homens e necessita de diagnóstico precoce para garantir a cura do paciente. Com a participação do Dr. Alvin Laemmel, reunimos as principais informações sobre o câncer de laringe para que você possa esclarecer suas dúvidas. Acompanhe!

Quais são as causas do câncer de laringe?

Segundo o Dr. Alvin, as principais causas do câncer de laringe estão relacionadas ao fumo e alcoolismo. Quando esses hábitos são praticados em conjunto, os riscos da doença aumentam ainda mais. Além disso, o Dr. cita outros fatores que também podem causar este tipo de câncer: “O refluxo gastroesofágico com manifestação otorrinolaringológica e fatores biológicos como a presença do vírus HPV também são condições facilitadoras da doença”.

Homens com mais de 40 anos e que possuem o hábito de fumar e ingerir bebida alcoólica com frequência são as principais vítimas do câncer de laringe e apresentam um risco maior de desenvolver a doença. Portanto, se você faz parte deste grupo, o ideal é ficar de olho em sua saúde e procurar um profissional para fazer um check-up completo.

Quais são os sintomas?

Inicialmente, os sintomas dependem do local que foi acometido pelo câncer. A laringe possui três sítios laríngeos – a região supraglótica, região glótica e a região infraglótica – os sintomas podem ser diferentes em cada região. Contudo, a maioria dos cânceres de laringe acometem a região da glote, onde estão localizadas as cordas vocais.

O Dr. explica como cada região é afetada: “Se o câncer surge na supraglote, o paciente pode apresentar dor para engolir ou alteração no mecanismo de deglutição. Se o câncer surgir na região infraglótica, abaixo das cordas vocais, as queixas são exclusivamente respiratórias”. Já na glote, a região mais afetada, o principal sintoma é a rouquidão prolongada.

O Dr. ainda ressalta que alguns cânceres podem afetar duas regiões da laringe: “Nesses casos, os sintomas podem ser múltiplos e causar ainda mais desconforto”, afirma. Além disso, o paciente pode apresentar dor de ouvido, causada pelo acometimento de um nervo sensitivo que liga a laringe ao ouvido.

Como é realizado o diagnóstico?

O diagnóstico do câncer de laringe é realizado por meio de um exame físico do pescoço e da garganta associado à videolaringoscopia e complementado diante de uma suspeita por um exame de imagem, que pode ser uma tomografia ou ressonância magnética.

Contudo, o Dr. ressalta que o diagnóstico confirmativo só é possível através de uma biópsia realizada a nível ambulatorial ou exame com anestesia geral, o procedimento realizado é a laringoscopia direta com anestesia geral, que permite a coleta de material da lesão identificada na laringe.

Para realizar o diagnóstico precoce, é preciso se atentar a alguns sinais que podem indicar a presença de um câncer: “Um nódulo cervical no pescoço traduz a presença de uma metástase que pode indicar um câncer silencioso na laringe. A suspeita também pode ser levantada pelo histórico clínico do paciente”, explica o Dr. Alvin.

Qual o tratamento mais adequado?

O tratamento mais adequado é totalmente individualizado para cada paciente e sempre vai depender de uma série de fatores. Segundo o Dr. Alvin, as principais circunstâncias que influenciam na escolha do tratamento são:

  • tipo de câncer;
  • estadiamento local ou locoregional;
  • condições clínicas;
  • aceitação do paciente.

O tipo de tratamento também depende do estágio em que o câncer se encontra: “Casos iniciais podem ser tratados com radioterapia exclusiva, radioterapia associada à quimioterapia ou até mesmo cirurgia”, explica o Dr. Já em casos mais avançados, o paciente pode necessitar de um tratamento bimodal, que incluem quimioterapia e radioterapia. Quando surge a necessidade de realizar a cirurgia de resgate o tratamento será trimodal. 

O Dr. esclarece que a cirurgia pode ser realizada de duas formas: “O tratamento pode se iniciar através de uma cirurgia de manutenção de parte da laringe ou, em casos mais graves, com uma retirada completa da laringe e a colocação ou não de uma prótese fonatória”. 

Quando diagnosticado precocemente, o tratamento para o câncer de laringe é pouco invasivo e o paciente não apresenta grandes efeitos colaterais, além de aumentar significativamente as chances de cura. Por isso, o diagnóstico precoce é tão importante!

Quais as complicações?

O câncer diagnosticado tardiamente possui baixas chances de cura e pode causar graves complicações em muitos casos. Dentre as principais, podemos citar:

  • alterações na fala;
  • dificuldade na deglutição;
  • deformidades físicas;
  • problemas psicossociais.

O que fazer se já tenho câncer de laringe?

Para quem já sabe que possui câncer de laringe, o ideal é procurar um centro oncológico de referência e realizar uma avaliação completa com um cirurgião de cabeça e pescoço. Somente este profissional pode indicar a abordagem mais adequada em cada caso e garantir a máxima eficácia durante o período de tratamento.

Além disso, é preciso interromper imediatamente o fumo e a ingestão de bebidas alcoólicas. Pacientes com câncer de laringe que continuam a fumar e a beber têm probabilidade de cura reduzida e aumento do risco de aparecimento de um segundo tumor na área de cabeça e pescoço.

Alguma dúvida não ficou esclarecida para você? Entre em contato conosco. Será um prazer responder seu questionamento. E para continuar acompanhando nossas dicas, novidades e conteúdos siga-nos no Facebook e Instagram. Até a próxima!

Material escrito por:
- CRM 5746 / RQE 4079

Formado em medicina pela UFSC, o Dr. Alvin Laemmel é especialista em cirurgia de cabeça e pescoço pela USP e mestre em técnica operatória e cirúrgica pela Unifesp. Seus principais interesses são o tratamento cirúrgico de doenças da tireoide, de tumores na cabeça e pescoço e das glândulas salivares.

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.