Obstrução nasal tem tratamento?

obstrucao-nasal-tem-tratamento

Por: - Otorrinolaringologista - CRM 15905 / RQE 11880
Publicado em 14/01/2019 - Atualizado 15/03/2019

Obstrução nasal tem tratamento?

A obstrução nasal, popularmente conhecida como nariz entupido, é considerada um sintoma muito comum e pode indicar diferentes problemas. Na maioria dos casos, trata-se de uma manifestação clínica de alguma doença respiratória, fato que, segundo a Organização Mundial da Saúde, acomete uma em cada sete pessoas no mundo.

A boa notícia é que existe tratamento para obstrução nasal. Porém, é imprescindível realizar um diagnóstico preciso da sua causa para que alcançar um resultado satisfatório.

Descubra abaixo quais as doenças mais comuns que têm como sintoma principal a obstrução nasal, os tipos de tratamento e a importância de promover a melhora na função respiratória.

Quais doenças podem causar obstrução nasal?

Existem diversas condições que levam à obstrução nasal. As mais comuns são as doenças que afetam o trato respiratório, incluindo infecções, alergias ou mesmo reações a agentes tóxicos e poluição ambiental. Também podem ocorrer obstruções mecânicas à passagem do ar, tais como  hipertrofia da adenoide ou o desvio de septo, condição que afeta oito em cada dez brasileiros.

O nariz entupido pode ser, ainda, causado por doenças congênitas, como encefalocele e atresia coanal, ou ocorrer devido à presença de tumores ou problemas na estrutura nasal. Consequências da obstrução nasal

À primeira vista, a obstrução nasal pode parecer inofensiva. Porém, a longo prazo o corpo é prejudicado quando a pessoa não consegue realizar a respiração adequadamente.

Dentre os principais problemas que ela pode ocasionar, destacam-se:

  • Dormir mal;
  • Apneia do sono;
  • Ronco;
  • Obesidade;
  • Fadiga;
  • Indisposição;
  • Diminuição do olfato;
  • Mau hálito;
  • Baixo rendimento em atividades físicas;
  • dificuldade na concentração;
  • Alteração na dentição.

Como tratar o nariz entupido

O tratamento para obstrução nasal depende do que está gerando essa condição. Em casos alérgicos, por exemplo, sugere-se lavar com frequência o nariz com soro fisiológico.

O otorrinolaringologista pode recomendar, ainda, o uso de corticosteroides nasais, algumas vezes associados a antialérgicos e descongestionantes. Além disso, é preciso manter os ambientes sempre bem limpos e arejados para evitar acúmulo de ácaros e poeira em geral.

Nos casos que envolvem as estruturas do nariz, seja devido a traumas locais ou a presença de desvio de septo, costuma-se indicar a realização de uma das seguintes cirurgias:

  1. Septoplastia: Trata-se da cirurgia que corrige o desvio de septo, ou seja, que centraliza o septo.
  2. Rinosseptoplastia: Esse procedimento visa corrigir as estruturas anatômicas internas do nariz, como cartilagens e ossos, que estejam obstruindo ou dificultando o fluxo de ar. Além disso neste procedimento é possível melhorar esteticamente a aparência do nariz.

É importante destacar, porém, que as cirurgias costumam ser indicadas somente em casos em que a qualidade de vida da pessoa está sendo prejudicada e não há outra possibilidade de minimizar a obstrução nasal.

Lembre-se que, para indicar o melhor tratamento, é importante que seja realizada uma avaliação médica especializada e, com isso, seja determinada a causa efetiva da obstrução nasal. Para isso, portanto, é indispensável buscar a ajuda de um otorrinolaringologista.

Quer saber mais sobre o assunto? Acesse a nossa área de tratamentos para nariz no site da CDO!

Material escrito por:
- Otorrinolaringologista - CRM 15905 / RQE 11880

Dr. Guilherme Webster é formado em Medicina pela UFSC e realizou a residência médica em otorrinolaringologia pelo Hospital do Servidor Municipal de São Paulo. Seus principais interesses são o tratamento clínico e cirúrgico em rinologia, otoneurologia, otoplastia, atendimento pediátrico e distúrbios de deglutição.