Check-list de exames para nariz, ouvido e garganta

exames-para-nariz-ouvido-e-garganta

Por: - CRM 11483 / RQE 9708
Publicado em 20/01/2019

Check-list de exames para nariz, ouvido e garganta

Visitar um otorrinolaringologista regularmente e, assim, realizar os principais exames para nariz, ouvido e garganta, é importante para prevenir, ao máximo, o surgimento de doenças que afetam essas regiões.

Neste sentido, existem diversos exames que podem ser realizados. Alguns se encaixam entre os considerados de rotina e outros são mais específicos, ou seja, realizados mediante o surgimento de sintomas particulares.

Para ampliar o seu conhecimento acerca do assunto, selecionamos os principais exames para nariz, ouvido e garganta e explicamos o objetivo de cada um deles. Saiba, também, porque é fundamental contar com o acompanhamento de um médico otorrinolaringologista especializado.

Por que é importante realizar check-up otorrinolaringológico periodicamente

Ir ao otorrinolaringologista é fundamental para prevenir doenças, bem como diagnosticá-las de forma precoce.

Através da realização de exames para o nariz, ouvido e garganta, é possível iniciar um tratamento adequado e, com isso, evitar que os sintomas persistam a ponto de prejudicar a qualidade de vida dos pacientes.

Outro motivo que demonstra a importância do check-up otorrinolaringológico é que essas regiões do corpo são consideradas bastante sensíveis, inclusive aos fatores externos.

Assim, ao mesmo tempo em que os sintomas podem não ser indícios de problemas sérios, há vezes em que eles podem estar vinculados a distúrbios mais complexos e que necessitam de maior atenção. Desta forma, o ideal é sempre averiguar.

Quando é necessário procurar ajuda médica

Apesar de o ideal ser realizar check-ups preventivos, ou seja, procurar a ajuda especializada sem sintomas aparentes, é importante ficar ainda mais atento quando determinados sinais podem indicar a presença de enfermidades.

Os sintomas mais comuns são:

  • obstrução nasal;
  • secreção ou sangramento nasal;
  • dificuldade para respirar;
  • dor de cabeça;
  • dor na face;
  • dor de ouvido;
  • zumbido;
  • tontura e vertigem;
  • dificuldade auditiva ou surdez;
  • secreção e/ou sangramento no ouvido;
  • dor de garganta e dificuldade para engolir;
  • rouquidão;
  • ronco.

Principais exames para nariz, ouvido e garganta

1) Vídeoendoscopia da deglutição (FEES)

Trata-se do exame que visa avaliar a deglutição, fenômeno complexo que é responsável por transportar os alimentos da boca até o estômago. Atualmente, esta é considerada a alternativa mais simples e segura de determinar a ocorrência de disfagia orofaríngea, que nada mais é do que a dificuldade em engolir.

2) Vídeolaringoscopia ou vídeofaringolaringoscopia

Esse é utilizado para visualizar a faringe e a laringe (pregas vocais). Por meio dele é possível avaliar, de forma detalhada, a região que fica abaixo da língua, o que não seria possível somente por meio da abertura da boca.

Com a vídeolaringoscopia, em apenas cinco minutos, o médico analisa toda a região das pregas vocais, base da língua e parte posterior da faringe.

3) Teste alérgico

Uma das doenças respiratórias mais comuns é a rinite alérgica. E ela somente é diagnosticada com precisão por meio do teste alérgico. Além de indolor, este é um exame rápido e simples,  que consiste na aplicação do alergênico na pele para avaliação de como o corpo reage a ele.

Sua duração é de, aproximadamente, 20 minutos e não possui contraindicação, tanto que pode ser realizado até pelas crianças a partir dos cinco anos de idade.

4) Processamento Auditivo Central

Processamento Auditivo Central é o conjunto de habilidades auditivas consideradas essenciais para que a pessoa compreenda uma mensagem oral. Assim, esse exame tem o objetivo de testar essas habilidades e entender a maneira com que o cérebro utiliza as informações que chegam até ele, por meio do ouvido.

Trata-se de um exame realizado quando o paciente apresenta queixas como: desatenção, dificuldade de compreensão e de aprendizagem.

5) Otoemissões Acústicas

Também conhecido como teste da orelhinha, trata-se de um exame computadorizado que avalia a função da cóclea, que é o órgão periférico da audição. Ele tem a capacidade de detectar precocemente a perda de audição em crianças e adultos.

6) Impedanciometria

Através desse exame, avalia-se se há secreção no ouvido médio; algum problema na mobilidade do tímpano; ou se há disfunção da tuba auditiva. Com ele, é possível identificar casos de otites catarrais crônicas e se há perfuração no tímpano.

7) Vídeoendoscopia nasossinusal ou nasofibroscopia

Popularmente conhecido como endoscopia de nariz, trata-se de um dos exames para nariz, ouvido e garganta mais completos. Através dele, toda a cavidade nasal é avaliada, permitindo o diagnóstico de diversas doenças nasais e sinusais.

Além disso, a vídeo-endoscopia naso-sinusal é muito utilizada para que o médico estude a anatomia nasal, antes de realizar alguma cirurgia.

8) Audiometria tonal e vocal

Esse exame tem o objetivo de pesquisar a capacidade auditiva do paciente. Além disso, detecta as perdas de audição, ele permite conhecer suas características, como, por exemplo, a gravidade e o seu tipo.

9) Teste de tontura

O teste de tortura é um exame que avalia a condição da porção vestibular da orelha interna (labirinto), com o objetivo de determinar se há alguma doença no local. Ele costuma ser realizado quando a pessoa está com tontura e falta de equilíbrio e quer descobrir a causa do problema.

Essa análise pode ser realizada de diversas formas, com destaque para:

  • pesquisa do nistagmo posicional;
  • vectoeletronistagmografia;
  • vídeohead impulse test (V-HIT).

10) Potencial Evocado Auditivo de Longa Latência (P300)

O Potencial Evocado Auditivo de Longa Latência avalia como ocorre o processamento auditivo central por meio da atividade neuroelétrica da via auditiva. Isso quer dizer que ele reflete o uso funcional que o indivíduo faz do estímulo auditivo.

Para isso, ele analisa as atividades corticais envolvidas nas habilidades cerebrais de atenção, discriminação e integração.

11) Potencial evocado auditivo de tronco encefálico

Também conhecido como BERA, que é sua sigla em inglês, esse exame estuda todo o percurso do som, ou seja, desde quando ele entra no ouvido até atingir o tronco encefálico.

De forma geral, seu objetivo é avaliar a integridade do sistema auditivo e, ainda, buscar as causas para um eventual zumbido. Esse exame pode ser realizado em qualquer idade.

12) Potencial Auditivo de estado Estável

Trata-se de um teste muito parecido com o BERA. Mas este oferece diferenciais, como a possibilidade de avaliar, de forma individual, determinadas frequências auditivas. E, ainda, pesquisar o limiar auditivo em intensidades maiores.

Mas é preciso lembrar que somente o médico otorrinolaringologista realiza um ou mais dos exames para nariz, ouvido e garganta.

Como eles são fundamentais para um diagnóstico preciso, caso sinta alguns dos sintomas pontuados nesse artigo, procure imediatamente o seu médico.  
Em caso de dúvida, entre em contato conosco. Ficaremos felizes em lhe ajudar!

Material escrito por:
- CRM 11483 / RQE 9708

Formada em medicina pela UFMG, a Dra. Ana Amélia é especialista em otorrinopediatria pelo Hospital Pequeno Príncipe e mestre em medicina pela Unifesp. É membro da Aborlccf e da Interamerican Association of Pediatric Otorhinolaryngology. Seu principal interesse é a otorrinolaringologia pediátrica.