Dieta para Refluxo gastroesofágico

dieta-para-refluxo-gastroesofagico

Por: - CRM 15664 / RQE 12369
Publicado em 17/02/2020

Dieta para Refluxo gastroesofágico

Pacientes que sofrem com o retorno do conteúdo gástrico para o esôfago devem procurar uma dieta para refluxo gastroesofágico a fim de controlar a doença e garantir mais qualidade de vida em seu dia a dia. Isso porque, em muitos casos, promover uma mudança alimentar já é suficiente para evitar que os sintomas apareçam de forma recorrente, o que pode afetar a rotina do paciente de maneira geral.

Ouça este conteúdo:

 

No nosso corpo, o conteúdo gástrico – também conhecido como suco gástrico – desempenha um importante papel na digestão. Ele é responsável por atuar nas proteínas e demais nutrientes alimentares para que sejam absorvidos corretamente pelo organismo, auxiliando no correto processo digestivo.

Apesar de sua importância, o conteúdo gástrico também pode provocar algumas complicações, como o refluxo gastroesofágico. Quem sofre com a doença sabe o quanto ela pode ser incômoda, mas para ajudar a aliviar os sintomas, preparamos algumas dicas de dieta para refluxo gastroesofágico para você adotar em sua rotina. Continue a leitura e saiba mais!

O que é refluxo gastroesofágico?

A doença do refluxo gastroesofágico ocorre quando o conteúdo gástrico presente no estômago retorna para a região do esôfago de maneira involuntária e repetitiva. Entre o esôfago e o estômago existe uma válvula – denominada esfíncter esofagiano – responsável por impedir a volta do conteúdo gástrico após a ingestão de alimentos.

Em pacientes que sofrem com o problema, a válvula não se fecha, ou se fecha de maneira parcial, o que acaba por facilitar o retorno do conteúdo gástrico para o esôfago, principalmente após refeições ou quando a pessoa se deita. 

Quais as causas do problema?

O refluxo gastroesofágico ocorre, principalmente, devido a três causas principais. São elas:

  • Alterações no esfíncter: qualquer problema que possa comprometer o funcionamento do esfíncter dificulta que a válvula realize sua função adequadamente, o que aumenta o risco do retorno do conteúdo gástrico.
  • Hérnia de hiato: a hérnia de hiato provocada pelo deslocamento da transição entre o estômago e o esôfago também pode ser responsável pelo aparecimento do refluxo gastroesofágico.
  • Fragilidade nas estruturas musculares: as estruturas musculares existentes na região entre o estômago e o esôfago podem apresentar fragilidade e não suportar o retorno do conteúdo gástrico.

Existem fatores de risco?

Sim. Além das causas que citamos acima, alguns fatores de risco podem contribuir para aumentar as chances de que o paciente desenvolva o problema. Dentre os principais, podemos citar:

  • obesidade;
  • alimentos gordurosos;
  • grandes refeições antes de deitar;
  • tabagismo;
  • bebidas alcoólicas, cafeinadas ou gasosas.

Qual a melhor dieta para refluxo gastroesofágico?

De maneira geral, a dieta para refluxo gastroesofágico é a mesma para qualquer paciente que deseja levar uma vida saudável. Preferencialmente, devem ser evitados alimentos gordurosos e bebidas alcoólicas, cafeinadas e gasosas, já que são fatores de risco para o desenvolvimento ou agravamento da doença.

Carboidratos simples, como farinha, macarrão e pão, devem ser consumidos com moderação, pois podem afetar o correto funcionamento do esfíncter esofágico e comprometer seu fechamento após a passagem de alimentos. 

Por outro lado, existem alimentos que podem ser incluídos na sua dieta para contribuir no tratamento do refluxo gastroesofágico. Abaixo, você confere uma lista com os principais alimentos que podem te ajudar nessa missão:

  • Frutas: são ricas em fibras e outras substâncias benéficas ao estômago. Prefira as menos ácidas, como banana, maçã e mamão.
  • Legumes: também são ricos em fibras. Grão-de-bico, feijão e ervilha são boas opções.
  • Verduras: ajudam a melhorar a digestão e equilibrar a acidez estomacal.
  • Carnes magras: as carnes vermelhas possuem maior teor de gordura. Portanto, prefira as carnes magras, como frango e peixes.
  • Gengibre: possui propriedades anti-inflamatórias, melhorando os sintomas relacionados ao esvaziamento gástrico.
  • Chá de camomila: ajuda a combater a má digestão e exerce um efeito calmante sobre o estômago.

Outros cuidados que você pode adotar

Além de seguir uma dieta equilibrada, alguns hábitos também podem ajudar a diminuir a recorrência do refluxo gastroesofágico:

  • procure comer de 3 em 3 horas em pequenas quantidades;
  • procure jantar até 3 horas antes de se deitar;
  • evite se deitar logo após as refeições;
  • não use cintos ou roupas apertadas na região abdominal;
  • eleve a cabeceira da cama;
  • evite fumar;
  • procure manter o peso ideal.

O que fazer se a dieta para refluxo gastroesofágico não resolver o problema?

Muitos pacientes respondem positivamente às mudanças na alimentação e não necessitam de outro tratamento para combater o refluxo gastroesofágico. No entanto, se a dieta não for suficiente para amenizar os sintomas, o médico pode orientar o tratamento clínico com medicamentos que diminuem a produção de ácido pelo estômago e melhoram a motilidade do esôfago.

Em casos de hérnia de hiato, pacientes que não respondem o tratamento clínico de maneira satisfatória ou quando é necessário confeccionar uma válvula anti-refluxo, o paciente realizar uma cirurgia. O procedimento é denominado cirurgia de fundoplicação e é realizado por meio da técnica laparoscópica.

Quer saber mais sobre problemas do ouvido, nariz e garganta? Acesse nosso blog e nos acompanhe no Facebook e Instagram para ficar por dentro de nossas novidades.

Material escrito por:
- CRM 15664 / RQE 12369

Dr. Rafael Goulart é formado em medicina pela Unisul, especialista em cirurgia de cabeça e pescoço pela Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Seus principais interesses são cirurgias da tireoide, de tumores na cabeça e pescoço e cirurgias na boca, laringe e faringe.

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.