Como prevenir a perda auditiva?

como-prevenir-a-perda-auditiva

Por: - CRM 17577 / RQE 9569
Publicado em 24/04/2019

Como prevenir a perda auditiva?

A perda auditiva é um problema que afeta cerca de 360 milhões de pessoas, de acordo com estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS). Deste número, metade poderia ter sido evitado através de medidas preventivas consideradas simples.

Apesar de muitas pessoas ainda vincularem a perda auditiva ao envelhecimento, o que se percebe é que esse é somente um dos fatores causadores.

Além da exposição sonora ambiental, que é um quesito muito difícil de se controlar, hábitos inadequados e falta de cuidados estão entre as principais causas da redução da capacidade auditiva.

Nesse cenário, como, então, prevenir a perda auditiva? Para responder a essa pergunta, antes é preciso conhecer quais as principais causas do problema. Confira.

Quais as causas da perda auditiva?

O envelhecimento está entre as causas mais conhecidas da perda auditiva. Isso ocorre porque, com a idade, as células auditivas vão morrendo e não são substituídas por novas, promovendo alterações na funcionalidade do ouvido.

Outro fator-chave para o problema é a genética. Estima-se que mais de 50% dos casos de surdez na infância tenha origem hereditária ou foi adquirida no parto.

O uso prolongado de fones de ouvido também vem ganhando destaque. De acordo com o Conselho Federal de Fonoaudiologia, isso está entre as principais causas da perda de audição em jovens.

Os demais motivos são:

  • exposição à poluição sonora;
  • doenças que reduzem a oxigenação do ouvido, como pressão alta e diabetes;
  • casos frequentes de infecções, como otites médias crônicas, gripes e sinusites;
  • uso de hastes flexíveis;
  • estresse excessivo;
  • uso crônico e em alta dosagem de medicamentos como anti-inflamatórios, aspirinas e alguns antibióticos.

6 dicas de como prevenir o problema

  1. evite introduzir qualquer tipo de objeto no conduto auditivo;
  2. realize o tratamento adequado em casos de infeções;
  3. caso não seja possível escapar da exposição sonora acima de 85dB, utilize sempre Equipamentos de Proteção individual (EPI);
  4. não esqueça de vacinar as crianças contra sarampo e caxumba;
  5. evite ouvir música muito alta no fone de ouvido.

Nos casos em que não é possível evitar a perda auditiva, como quando a causa é genética, é importante buscar a ajuda de um otorrinolaringologista ao reparar os primeiros sinais do problema.

No caso, fique atento aos seguintes sintomas:

  • atrasos no desenvolvimento da linguagem, no caso de crianças;
  • zumbido ou chiado no ouvido;
  • vertigem;
  • dificuldade de compreensão da fala;
  • sensibilidade ao som;
  • isolamento social.

Existe tratamento para perda auditiva?

O tratamento para o problema consiste em melhorar a capacidade de compreensão e fortalecer a audição ainda existente. No caso, não é possível restaurar a audição normal, visto que as células, uma vez mortas, não conseguem se regenerar.

Dentre as opções mais recomendadas, destaca-se o aparelho de amplificação sonora individual, também conhecido como prótese ou aparelho auditivo. Ele pode ser utilizado tanto em casos leves quanto moderados, independentemente da idade.

A escolha do tratamento mais adequado para a reabilitação auditiva deve ser realizada por um médico especializado. Desta forma, é importante que o paciente busque ajuda para que a sua qualidade de vida não seja prejudicada.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco. Aproveite e nos siga no Facebook, Instagram e YouTube para estar sempre informado sobre tudo que envolve a otorrinolaringologia.

Material escrito por:
- CRM 17577 / RQE 9569

Dr. André Maranhão é formado em medicina, especialista em otorrinolaringologia pela PUC-PR, mestre e doutor em otorrinolaringologia pela Unifesp. Dedica-se à Otologia e tem como áreas de interesse o tratamento clínico e cirúrgico de doenças que afetam o ouvido.

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba mais informações sobre cuidados para a saúde em seu e-mail.