10 cuidados para evitar doenças respiratórias

10-cuidados-para-evitar-doencas-respiratorias

Por: - Otorrinolaringologista - CRM 15905 / RQE 11880
Publicado em 13/10/2018 - Atualizado 15/03/2019

10 cuidados para evitar doenças respiratórias


As doenças respiratórias são consideradas problemas de saúde pública e afetam pessoas do mundo todo, independentemente de cor, classe social e sexo. Apesar de contarem com tratamentos leves e eficientes, é fundamental adotar determinados cuidados para conter ao máximo a quantidade de episódios de doenças respiratórias que ocorrem ao ano.

Confira quais são as principais doenças respiratórias que acometem a população brasileira e que cuidados podem ser adotados para manter-se saudável por mais tempo.

Principais doenças respiratórias

Dentre as doenças respiratórias mais comuns, destacam-se o resfriado e a gripe. Para se ter uma ideia, um adulto pode ficar resfriado até quatro vezes ao ano.

Apesar dos sintomas de ambos serem muito parecidos, o resfriado, que é uma infecção viral autolimitada do trato respiratório alto, costuma ter consequências mais brandas e uma duração menor. Já a gripe, além de ser uma doença infecciosa aguda, é causada pelo vírus influenza, que é altamente contagioso.

Outras doenças que afetam muitos brasileiros são:

  • Asma: essa doença faz com que as vias aéreas fiquem inflamadas, inchadas e estreitas, dificultando a respiração;
  • Bronquite: caracteriza-se pela inflamação da mucosa dos tubos brônquicos, que são os responsáveis por transportar o ar para fora e para dentro dos pulmões;
  • Rinite: trata-se de uma inflamação infecciosa, alérgica ou irritativa da mucosa nasal que causa sintomas como coceira, espirros e olhos lacrimejantes;
  • Sinusite: condição em que há a inflamação das cavidades ao redor das vias nasais;
  • Pneumonia: essa doença respiratória ocorre quando há a inflamação dos sacos de ar de um ou de ambos os pulmões, levando ao acúmulo indevido de líquido;
  • Tuberculose: essa doença bacteriana infecciosa afeta principalmente os pulmões e é considerada uma das mais graves, além de necessitar de um tratamento mais longo;
  • Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC): caracteriza-se pela limitação no fluxo aéreos dos pulmões.

Com a possibilidade de adquirir tantas doenças, é importante se prevenir para evitar o desconforto e complicações que podem acontecer com a recorrência de episódios.

Como prevenir as doenças respiratórias

Para evitar que essas doenças respiratórias prejudiquem no dia a dia, é possível adotar alguns cuidados básicos. Confira 10 dicas muito eficientes:

  1. Mantenha os ambientes sempre limpos e bem arejados, evitando, assim, o acúmulo de poeira, ácaros e umidade;
  2. Adote uma alimentação equilibrada, nutritiva e com uma quantidade elevada de vitaminas. Isso auxilia a manter a imunidade sempre alta;
  3. Ingira mais líquido ao longo do dia, pois, além de manter o organismo hidratado, isso evita o ressecamento das vias aéreas;
  4. Lave as mãos com água e sabão após tossir, espirrar, utilizar o banheiro, antes das refeições e antes de tocar nos olhos, boca e nariz;
  5. Evite tocar no rosto após encostar em alguma superfície suja;
  6. Mantenha ventiladores sempre limpos, assim como o ar-condicionado, que deve ter o seu filtro lavado ou trocado frequentemente;
  7. Evite locais fechados e com aglomeração de pessoas;
  8. Ao tossir ou espirrar, proteja a boca e o nariz com um lenço de papel;
  9. Troque a roupa de cama com frequência;
  10. Em caso de sintomas como febre, tosse e/ou dor de garganta, procure imediatamente o seu médico. Não deixe para se consultar quando piorar ainda mais.

Caso você precise de alguma orientação sobre o assunto ou tenha ficado com alguma dúvida, entre em contato conosco ou agende uma consulta no CDO.

Material escrito por:
- Otorrinolaringologista - CRM 15905 / RQE 11880

Dr. Guilherme Webster é formado em Medicina pela UFSC e realizou a residência médica em otorrinolaringologia pelo Hospital do Servidor Municipal de São Paulo. Seus principais interesses são o tratamento clínico e cirúrgico em rinologia, otoneurologia, otoplastia, atendimento pediátrico e distúrbios de deglutição.